Em parceria com a Amas, Senai vai implantar Programa de Logística Reversa nos supermercados

Em visita ao Edifício Casa da Indústria, o dirigente da entidade que representa os supermercadistas de todo o Brasil foi apresentado ao programa

14 SET 2018Por Diretoria de Comunicação e Marketing (DICOM)09h28

O Senai, por meio do Programa de Logística Reversa, vai firmar um convênio com a Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados) para oferecer apoio técnico e jurídico aos supermercados de Mato Grosso do Sul, com objetivos de que estes e estabelecimentos afins cumpram a Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Acordo neste sentido teve encaminhamento nesta quarta-feira (12/09), durante reunião entre o diretor-regional do Senai, Rodolpho Mangialardo, técnicos da instituição, o presidente da Amas, Edmilson Jonas Veratti, e o superintendente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), Márcio Milan.

Em visita ao Edifício Casa da Indústria, o dirigente da entidade que representa os supermercadistas de todo o Brasil foi apresentado ao programa, inicialmente desenvolvido pelo Senai para auxiliar as indústrias locais a elaborarem sistemas de logística reversa e que, agora, será estendido a mais um elo da cadeia de consumo. “A Amas nos solicitou que, antes, de aderir ao programa, que ele fosse apresentado à Abras. Com o sinal verde que recebemos do superintendente, dentro de 15 dias o contrato de adesão deverá estar assinado”, afirmou Rodolpho Mangialardo.

Para o diretor-regional do Senai, a adesão da Amas e seus associados ao Programa de Logística Reversa representa um reforço no enfrentamento dos problemas decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. “É fundamental que todos os elos da cadeia, do fabricante ao consumidor final, estejam envolvidos e alinhados para realizar o correto descarte resíduos e embalagens”, avaliou.

O presidente da Amas afirmou que a adesão da Amas ao programa do Senai é fundamental para o sucesso do descarte sustentável de resíduos. “Para que o programa dê certo, é muito importante a participação dos supermercados e que toda a cadeia esteja envolvida. Estamos mobilizando os estabelecimentos neste sentido, para que participem e, inicialmente, 50 CNPJs vão aderir. A meta é atingir, pelo menos, 400”, afirmou.

Márcio Milan salientou que a Fecomércio/MS teve um papel importante para que a Amas conhecesse o programa do Senai, bem como o de articular junto ao Imasul, órgão vinculado ao Governo do Estado e que fiscaliza o cumprimento da lei que trata do PNRS, mais prazo para adequação das empresas do segmento supermercadista. “Acredito que o programa do Senai será um grande instrumento para auxiliar os supermercados de Mato Grosso do Sul a atingir as metas de reciclagem de resíduos estabelecidas no PNRS, bem como cumprir as obrigações com os órgãos fiscalizadores”, considerou.

Deixe seu Comentário

Leia Também