Gaeco cumpre 27 mandados de prisão e 12 de busca e apreensão

Ações são em Campo Grande, Corumbá, Nova Andradina e em Goiás

12 JUN 2018Por Elda/internet/Correio do Estado10h05

Com início das investigações há um ano, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) está cumprindo nesta manhã 27 mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão. A ação é realizada em conjunto do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque da Polícia Militar.

De acordo com o Gaeco, o nome da operação se refere justamente ao nome usado pelo PCC para o local onde são armazenados os armamentos do grupo. A operação Paiol tem o objetivo de combater o crime organizado no Estado, principalmente a ação da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A operação está em andamento e já foram apreendidos 800 gramas de skank, 343 munições e cinco armas de fogo, dentre elas uma submetralhadora 9 milímetros e um fuzil SL 15.

Tania Cristina Lima de Moura, de 46 anos, é esposa do “Tio Arantes”, um dos chefes do PCC em Mato Grosso do Sul. Ela foi uma das presas pelo Choque na manhã desta terça (12). Além dela, o agente penitenciário Adilson Brum Weis também foi preso sob suspeita de repassar informações a integrantes da organização criminosa que estavam nos presídios. Ele trabalhava atualmente na Casa do Albergado, na Vila Sobrinho.
 

Durante as investigações, além dos mandados de prisões, outras sete pessoas foram presas em flagrante delito por tráfico e porte de arma de fogo de uso proibido.
Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Campo Grande, Corumbá, Nova Andradina e Águas Lindas de Goiás.

 

Correio Estado

assembleia 1

Deixe seu Comentário

Leia Também