Prefeito refaz asfalto para não perder verba de R$ 3,2 milhões

Sudeco bloqueia convênio por causa de 1 cm a menos na espessura do pavimento

11 MAR 2018Por Rádio Jota FM/Edson Moraes19h41
assembleia

Um erro de um centímetro na espessura do asfalto poderia levar Paranaíba a perder a maior parte de um convênio de R$ 3,2 milhões celebrado com a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), em 2013. Para evitar o prejuízo, o prefeito Ronaldo Miziara (PSDB) teve que refazer a obra realizada na gestão do antecessor, Tita Queiroz (PPS).

Segundo Ronaldo Miziara, o novo asfalto está sendo concluído e o Município vai cobrar da Sudeco que seja liberado o restante dos recursos conveniados. "O erro é coisa do passado. Não vamos ficar parados olhando no retrovisor, nem ficar criticando a administração anterior. O que precisava ser feito era corrigir o que estava irregular e isso já estamos fazendo", afirmou.

Para o prefeito, é necessário ter a consciência de que esse caso já está em outra etapa. "Vamos andar para a frente, recuperar o que é de direito da cidade. E estamos avançando. O que importa agora é cobrar e buscar do governo federal os recursos que faltam para executar e concluir esse empreendimento", destacou. O convenio garantia o asfaltamento de várias ruas nos bairros Industrial de Lourdes, Santo Antônio, Daniel II, Daniel IV, Vila Salomé, Ipê Branco e Jardim Elisa.

O pavimento deveria ter 4,5 cm de espessura. Mas a Secretaria de Obras na época, quando o prefeito era Tita Queiroz, abriu licitação para um asfalto com 3,5 cm de espessura. Foi feito apenas um trecho do que estava previsto no projeto e a Sudeco não aprovou a diferença de um centímetro e nem o asfalto de fina espessura. A irregularidade leva o órgão federal a suspender o convênio e a liberação dos recursos, num procedimento que é o mesmo do Tribunal de Contas da União (TCU) e dos órgãos de fiscalização e controle de obras publicas.

Miziara não titubeou quando soube do embargo e imedioatamente mobilizou recursos da Municipalidade para corrigir o erro técnico. Determinou à secretaria de Obras novo trabalho de recapeamento para atingir a espessura exigida. Ao mesmo tempo, bateu às portas da Sudeco e dos deputados federais e senadores de Mato Grosso do Sul em busca de apoio para repatriar os recursos definidos no convênio, Recebeu o apoio que buscava.

UNIR A COMUNIDADE - Para o prefeito, o fundamental agora é unir a comunidade e mobilizar todas as forças representativas do Município para garantir a liberação do restante das verbas. “Há necessidade premente de atender milhares de pessoas que moram em regiões carentes do benefício da pavimentação asfáltica. Este é o objetivo comum que, acredito, seja capaz de unir toda a população”, assinalou.

Miziara não quer fazer do erro técnico da gestão anterior um motivo de retaliação política. “Sem politicagem. Os paranaibenses querem trabalho, atitude, resultados. Quanto mais gente estiver interessada em soluções, mais chances teremos de reduzir e acabar com os problemas da comunidade”, recomenda.

 

assembleia 1

Deixe seu Comentário

Leia Também