Velório de Adão Claro Dino inicia às 14h na Pax Bom Jesus Central

Família e amigos lamentam. Como empreendedor, movimentou negócios em alguns municípios

12 MAI 2018Por Mauro Silva11h29

Faleceu às 5 horas deste sábado (12) na Santa Casa em Campo Grande em consequência de parada cardiorrespiratória, o senhor Adão Claro Dino, aos 76 anos de idade. Pequeno produtor rural há 19 anos no Assentamento São Pedro onde morava no lote 145, estava internado há 20 dias em decorrência de AVC e problemas cardíacos.

Estão enlutados a esposa dona Marlene, os filhos Dr. Gerson Claro, Jucemara, Juscinei, Jussara e Gilmar, 11 netos e 7 bisnetos.

O velório terá início às 14 horas de hoje (12) na Pax Bom Jesus Central, e o sepultamento será no domingo (13) às 9 horas no Cemitério Municipal São Sebastião.

Amigos lamentaram o falecimento do senhor Adão, pessoa que com simpatia e amor, atraía ao seu convívio familiares e diversas pessoas.

“Forte determinado simplesmente Exemplo. Deus nos conforte”, postou em sua conta na rede social Facebook o Dr. Gerson Claro.

Outro filho, Gilmar, também homenageou o pai na plataforma social: “Um dos lemas do meu pai, família, fé, amor. Ele sempre falava que devemos cuidar uns dos outros, nunca virar as costas para família, amigos. Ele amava tudo e a todos da mesma maneira, carinho. Não tenho palavras para expressar sobre o senhor meu pai, amor eterno em nossos corações”.

Empreendedor nato

A história de vida do senhor Adão Claro é pautada na dedicação, dinamismo e empreendedorismo. Ao longo da vida de lutas, montou negócios em algumas localidades, e nos últimos 19 anos vivia no Assentamento São Pedro onde trabalhava como pequeno produtor rural.

Na época em que morou em Itaporã, foi nomeado delegado de Polícia, e em 1974 morou no Assentamento Santa Terezinha no mesmo município, onde trabalhou no campo.

Também morou e trabalhou muito em Dourados e no Distrito de Camisão – município de Aquidauana – onde montou uma peixaria.

Chegando com a família em Sidrolândia em 1986, Adão Claro foi comerciante, dono do Frangolândia e teve uma peixaria. Trabalhou também como taxista, e em seguida partiu com dona Marlene e família para o Assentamento São Pedro onde os negócios na pequena propriedade são tocados atualmente.

Deixe seu Comentário

Leia Também