Presidentes discutem ponte entre MS e município paraguaio

Michel Temer e o presidente paraguaio eleito discutiram construção de pontes

11 JUN 2018Por Gabriel Neris/Campo Grande News18h35
assembleia

A construção de pontes foi um dos assuntos tratados entre o presidente brasileiro Michel e Temer e o presidente eleito do Paraguai, Mario Abdo Benítez. O acordo deve ligar o município sul-mato-grossense de Porto Murtinho a paraguaia Carmelo Peralta e faz parte da rota bioceânica, que ligará Mato Grosso do Sul aos portos da região norte do Chile.

Os senadores brasileiros aprovaram o acordo no dia 17 de abril. Em março o atual presidente paraguaio, Horacio Cartes, assinou o contrato que autoriza o asfaltamento do trecho que liga Carmelo Peralta até Loma Plata, no Departamento de Boquerón.

O governo de Mato Grosso do Sul estima que o valor da construção da ponte chegue aos R$ 240 milhões, valor que será dividido pelos governos brasileiro e paraguaio. Os 227 km de rodovia cortarão a chamada região do Chaco, o pantanal paraguaio, e fazem parte da primeira etapa da obra.

O Brasil foi o destino da primeira viagem de Abdo ao exterior após a eleição. Ele toma posse no dia 15 de agosto, em Assunção, para um mandato de cinco anos.

O presidente eleito do Paraguai disse ter feito a Temer a proposta de “aprofundar o processo” para a construção de quatro pontes de ligação entre os países. A construção das pontes é uma demanda antiga do país vizinho.

“Falamos sobre a importância de melhorar nossa ligação. Temos projetos de construção de quatro pontes que vão ser fundamentais para aumentar nossa competitividade e conectividade. A última ponte construída entre Paraguai e Brasil foi há 53 anos, que foi a Ponte da Amizade. É inaceitável que com todo o comércio e oportunidades que temos juntos tenhamos apenas uma ponte”, disse Abdo. O paraguaio disse ter visto vontade política do governo brasileiro para ampliar a ligação entre os dois países vizinhos.

Benítez relatou que também conversou com Temer sobre a necessidade de fortalecer a ação coordenada em parceria com o governo brasileiro para combater o crime organizado,o narcotráfico e lavagem de dinheiro.“O crime organizado é o que melhor se globalizou no mundo de forma eficiente. Tem que haver esforço compartilhado entre todas as nações para enfrentar com eficiência e eficácia esse flagelo”, disse. O presidente eleito também falou em fortalecer os laços comerciais entre os países e o turismo de compras.

Com informações da Agência Brasil

assembleia 1

Deixe seu Comentário

Leia Também