Sidrolândia - MS

Gerson Claro (PP), participou da cerimônia de abertura do XIV Congresso de Direito

Gerson citou que o ambiente acadêmico ilumine debate da reforma da previdência e tributaria

23 MAI 2019Por Assessoria19h22

Representando a Assembleia Legislativa, o deputado estadual Gerson Claro (PP), participou da cerimônia de abertura do XIV Congresso de Direito Tributário, Constitucional e Administrativo e do VI Seminário Científico da Faculdade de Direito da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), na manhã desta quinta-feira (23), e além de lembrar de seu período de acadêmico, salientou a importância e incentivou o debate no evento de temas fundamentais para o país, como as reformas da previdência e tributária.

"Espero que nesse ambiente acadêmico possam surgir ideias que iluminem para que no espaço político a gente possa cumprir nosso papel de entregar para a população o que ela necessita", afirmou Gerson Claro, que, em nome da Assembleia Legislativa, parabenizou os organizadores e desejou um bom congresso ao cerca de 1,3 mil inscritos, entre profissionais do Direito e estudantes.  

O advogado Clélio Chieza, um dos organizadores do evento, destacou que o Congresso ganhou notoriedade e credibilidade ao longo dos anos, e nesta edição vai promover debates que envolvem temas de interesse do país, como as reformas da previdência e tributária. "Levando em conta que toda solução teórica tem que ter um viés prático", frisou.

Também presente ao evento, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o momento é propício para a discussão dos temas em questão, que são fundamentais para retomada de crescimento da nação.

"O Brasil tem arcabouço de legislações tributárias. Precisamos de uma simplificação e unificação dos tributos federais, estaduais e municipais, para garantir democratização e desburocratização", alegou Azambuja.

Para Gerson Claro, as reformas em questão são essenciais para toda população, uma vez que o cidadão, bem como o Estado, precisam aumentar fonte de receita e já não suportam elevada carga tributária do país.

Azambuja afirmou que a reforma da previdência não é para governo, mas para o país. "Se não tivermos mudanças o Brasil vai mergulhar num caos. É preciso melhorar a equação do déficit previdenciário. Essa é uma discussão importantíssima", destacou Reinaldo.

O Congresso acontece entre os dias 23 e 24 de maio, com mais de 40 expositores e abrangência em toda região do Centro Oeste. Também fizeram uso da palavra, na cerimonia de abertura, o conselheiro Ronaldo Chadid, representando o TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) e o prefeito da Capital, Marquinhos Trad (PSD). 

Deixe seu Comentário

Leia Também