Sidrolândia - MS

Garotinho de 11 anos antes de morrer disse "Ele me mandou ajoelhar e atirou"

Ivan Alyffer Albuquerque Rocha de 23 anos foi acusado de homicídio e esta preso

10 JUN 2019Por Sidrolândia News08h12

Um crime bárbaro ocorreu em Sidrolândia na noite de sábado (09), na estrada que da acesso a Fazenda Furnas.

Era por volta das 18h:30min, quando um menino de 11 anos, identificado como Luiz Otávio Santana de Lima, recebeu um disparo de arma de fogo, que foi presenciado pelo irmão da vítima, um garoto de 13 anos, que disse que "Ele mandou meu irmão ajoelhar em meio da mata e disparou". O autor, identificado como Ivan Alyffer Albuquerque Rocha de 23 anos de idade teria tentado fugir em meio a vegetação, porém foi contido pelos moradores do local.

Essa versão, também foi contada pelo garotinho as testemunhas,  que deterão o autor até a chegada da Policia Militar, já o autor nega a versão, e disse que o tiro foi acidental, e que estavam caçando.

A Policia Militar foi recebida por Roseli Aparecida Santana de Lourenco, irmã da vítima, que realizou a entrega de uma arma de fogo, calibre 22, artesanal, um coldre de couro contendo 4 (quatro) munições de calibre 22, estando 01 (uma) deflagrada, arma que estava com o autor e que teria saído para caçar com seus dois irmãos, um garoto de 13 anos e a vítima Luiz Otávio de 11 anos de idade,

Após a apreensão da referida arma de fogo, os militares retornaram para a área urbana; o acusado que é namorado da prima da vítima, foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil e será ouvido pelo Delegado Diego Dantas. 

Delegado Dr Diego Dantas, emitiu uma nota informando que foi realizada a lavratura da prisão em flagrante pelos crimes de homicídio majorado (art.121, §4º do CP) e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido (art.14 da Lei 10.826/03), a arma utilizada no crime foi de fabricação artesanal, calibre 22, foi apreendida e será encaminhada para perícia.

O autor, em interrogatório, afirma que o tiro foi acidental, entretanto, mas os elementos de informação colhidos até o momento indicam indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva pela prática de homicídio doloso, necessários para lavratura de auto de prisão em flagrante, com o consequente indiciamento.

Nenhuma linha investigativa é descartada neste momento, e serão realizadas diligências já nas próximas horas para a completa elucidação das circunstâncias e motivações do delito.

O autor ficará à disposição do Poder Judiciário, onde deverá passar pela audiência de custódia.

Deixe seu Comentário

Leia Também