Dourados pode ser 1ª cidade do interior de MS a ter Uber e similares

01 MAR 2017Por Midiamax12h00

Uma semana após a promulgação da Lei nº 4.084, de 10 de fevereiro de 2017, que prevê multa de R$ 3 mil a quem promover “o transporte remunerado de pessoas em veículos particulares cadastrados através de aplicativos para locais pré-estabelecidos” em Dourados, distante 228 quilômetros de Campo Grande, a cidade entra na mira de representantes dos aplicativos desse gênero.

Paulo Pinheiro, presidente da Applic-MS (Associação dos Parceiros de Aplicativos e de Motoristas de Transporte de Passageiros e Motoristas Autônomos de Mato Grosso do Sul), afirmou ao Jornal Midiamax que pretende ter uma reunião com a prefeita Délia Razuk (PR) nesta quinta-feira (2) para tratar da regulamentação desses serviços no município.

“Vamos trabalhar para regulamentar o transporte remunerado de passageiros nas principais cidades de Mato Grosso do Sul. Em Dourados, Ponta Porã, Corumbá, Naviraí, Nova Andradina. E faço questão que Dourados seja a primeira cidade do interior, fora a Capital. Dourados tem 250 mil habitantes, é um polo essencial e tem que ter sim a carona remunerada regulamentada”, disse.

Segundo Pinheiro, na sexta-feira (24), ao participar agenda com o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), recebeu do gestor municipal a orientação para procurar as autoridades douradenses e tratar do assunto pessoalmente. “O prefeito de Campo Grande falou para a prefeita e a presidente da Câmara [de Dourados] me receberem para regulamentar nossa classe em Dourados”, garantiu.

 

Trad é correligionário da vereadora Daniela Hall (PSD), presidente da Câmara de Dourados que na edição de quarta-feira (22) do Diário Oficial do Município divulgou a promulgação da lei municipal que estabelece: “a realização do transporte individual e remunerado de passageiros por veículos não autorizados para o serviço de táxi no Município de Dourados, que utilizem de quaisquer aplicativos, caracterizará o exercício de serviços de transporte clandestino, ficando o infrator sujeito a multas previstas nesta lei”.

Pinheiro diz pretender conversar pessoalmente também com o vereador Cido Medeiros (DEM), autor do projeto aprovado em 2015 que deu origem a essa legislação. “O sistema que nós queremos levar para Dourados tem oito aplicativos e não apenas a Uber”, esclarece o presidente da Applic-MS. 

Deixe seu Comentário