Abandonada nos últimos anos, Vila Olímpica Indígena de MS ganha mutirão de limpeza

Iniciativa partiu de professores, diretores de escolas indígenas, cozinheiras, e vários voluntários da Aldeia Bororó

15 MAR 2021Por Midiamax11h00

Praticamente abandonada nos últimos anos, a Vila Olímpica Indígena, considerada a primra do gênero no Brasil, ganhou uma limpeza geral no último sábado (13). A iniciativa partiu de professores, diretores de escolas indígenas, cozinhras, e vários voluntários da Alda Bororó e Jaguapiru.

Segundo o Coordenador da CEAID, Maclson Verá, “há muito o que se fazer ainda, mas é um importante começo”. E disse ainda que a ação foi apoiada pela REDECOOR (Rede de Coordenadorias da Preftura Municipal de ), pela Financial Construtora.

A Vila Olímpica Indígena foi construída em área de 29 mil metros quadrados, na divisa das aldas Jaguapiru e Bororo, dentro da  de . O compxo inaugurado em 2011, dispõe de ginásio poliesportivo coberto com equipamentos para a pratica de vôl, futsal, basquete e handebol, além de arquibancada, banhros e tribuna de honra para autoridades.

Com cobertura metálica, que possui traçado que se assemelha ao formato de uma oca, o local também abriga um parque Infantil em espaço circular, com balanços e escorregadores, numa estrutura que simula, no andar superior, uma sala de aula, com mesa e cadras. Há também dois campos de futebol e prédio administrativo.

Deixe seu Comentário

Leia Também