Coronel David diz que MS está integrado à política de Bolsonaro em defesa da mulher

02 FEV 2021Por Assessoria Coronel David17h00

Durante a visita da Secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto, a Campo Grande,  nesta terça-feira (1º), o deputado estadual e Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate a Violência Doméstica e Familiar da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul,  Coronel David (sem partido) reforçou que o Estado está  integrado à política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em defesa da mulher.

“Nosso presidente Jair Bolsonaro sempre foi taxado que não era afeto a essa política de proteção à mulher, mas o trabalho que a senhora desenvolve junto com a ministra Damares mostra que o governo do presidente Bolsonaro vem dando demonstrações de forma inequívoca do empenho que ele tem nessa questão”, declarou Coronel David, em mensagem de boas-vindas a secretária.

A visita de Cristiane tem relação com a campanha 16 dias pelo fim da violência contra a mulher, um movimento de conscientização e mobilização da população proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) contra o problema. No Brasil, a campanha tem duração de 21 dias, com início em 20 de novembro e encerramento no dia 10 de dezembro.

Coronel David aproveitou o período para lembrar que os trabalhos desenvolvidos no Estado fortalecem a política de combate à violência contra a mulher em toda a Federação. “ A Casa da Mulher Brasileira instalada no município de Campo Grande é uma referência nessa questão da sociedade se unir para combater a violência contra a mulher “, disse ele, chamando atenção para o trabalho “abnegado, profissional e acolhedor” realizado pelos funcionários que atendem as vítimas.

O deputado também parabenizou os trabalhos feitos durante a gestão Bolsonaro para reduzir o índice de violência contra as mulheres em todo o país. Este ano, por exemplo, o presidente por meio da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres fez o repasse de R$ 1,6 milhão para garantir o funcionamento da Casa da Mulher Brasileira em Campo Grande, a primeira a ser inaugurada no país.

A defesa do direito das mulheres sempre fez parte do trabalho do deputado Coronel David. Em 2014, quando ainda atuava como comandante da Polícia Militar em Mato Grosso do Sul, ele lançou uma cartilha com orientações para os militares tratarem as vítimas de forma humanizada, facilitando assim o processo das denúncias.

Após assumir uma das cadeiras na Assembleia Legislativa, Coronel David passou a presidir a Comissão  Permanente de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate a Violência Doméstica e Familiar. Ele deve passar o cargo para a deputada Mara Caseiro (PSDB) no próximo ano.

“Até então nossa Assembleia não tinha uma representante mulher para fazer parte dessa comissão e ser a presidente, mas quis o destino que, mesmo diante de uma fatalidade que atingiu nossa Casa de Leis [ morte do deputado Onevan de Matos (PSDB) em decorrência do novo coronavírus] ela assumisse”, disse.  “Com muito orgulho eu espero passar a presidência da Comissão no ano que vem sabendo que ela assim como nós tem isso como meta: de fazer a Assembleia Legislativa trabalhar de forma decisiva junto com outros órgãos para que a gente mude essa realidade difícil e triste de violência contra à mulher”, finalizou o Coronel David.

Além do parlamentar, estiveram presentes no evento a Coordenadora de acesso à justiça da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, Gleyce Cardoso a Subsecretária de Políticas para Mulheres de Mato Grosso do Sul, Luciana Azambuja, a  Subsecretária de Políticas para a Mulher (Semu), Tai Loschi, o titular da Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais (Segov), Antônio Lacerda, o delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, a vereadora Anny Espínola de Ponta Porã, representando o Parlamento Feminino da Fronteira (PSDB) e a diretora técnica do SEBRAE, Maristela França de Oliveira.

Também compareceram ao evento representantes da 3ª Vara do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Promotoria de Justiça, Defensoria Pública, Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Patrulha Maria da Penha, Programa Mulher Segura (Promuse) da Polícia Militar, Funsat (Fundação Social do Trabalho de Campo Grande), setor psicossocial, alojamento e apoio administrativo.

Deixe seu Comentário

Leia Também