Dia do Hidrógrafo

Na paz, foi um grande marinheiro, tendo efetuado, pioneiramente, levantamentos hidrográficos de nossa costa, atividade que, até então, era executada exclusivamente por estrangeiros.

28 SET 2020Por Calendarr/Jota FM 98.100h00

Como entoado nos versos escritos pelo SO-HN Mesquita em homenagem ao Dia do Hidrógrafo 2018, hoje é uma data de júbilo para a Hidrografia Brasileira, pois celebramos o 189º aniversário do Capitão de Fragata Antônio Vital de Oliveira, nosso Patrono, herói que, na guerra da Tríplice Aliança atingiu o ápice da dedicação ao serviço da Pátria, com o sacrifício de sua própria vida.

Na paz, foi um grande marinheiro, tendo efetuado, pioneiramente, levantamentos hidrográficos de nossa costa, atividade que, até então, era executada exclusivamente por estrangeiros.     

Desde os primeiros trabalhos conduzidos por nosso Patrono, a característica basilar do Serviço Hidrográfico Brasileiro é o anonimato, onde os méritos decorrem do trabalho coletivo em prol da qualidade dos produtos e serviços desenvolvidos nas diversas áreas de conhecimento que compõem a Hidrografia em seu sentido mais amplo:

Cartografia Náutica, Hidrografia propriamente dita, Geologia e Geofísica Marinha, Meteorologia Marinha, Navegação, Oceanografia e Sinalização Náutica, modernamente denominada Auxílios à Navegação.      

Hoje, inspirados no exemplo de Vital de Oliveira e de tantos outros insignes hidrógrafos, deixamos o anonimato momentaneamente de lado para honrar as gerações de marinheiros e servidores civis que se dedicaram, ou ainda labutam, nas Lides Hidrográficas.

Esse seleto grupo é composto pelos que tiveram a oportunidade de cursar e servir na DHN e, também, aqueles que, direta ou indiretamente, contribuíram/contribuem para o cumprimento da missão de nossa centenária Repartição Hidrográfica.     

Portanto, ser Hidrógrafo é um sentimento de pertencimento, adquirido ao participar em projetos e trabalhos voltados para a segurança da navegação e o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico de nosso País no mar e hidrovias interiores.

Assim, engloba uma plêiade de profissionais de diversas Instituições Públicas e Privadas que, ao longo dos anos, por intermédio de profícuas parcerias, vem contribuindo com nossa DHN, muitas delas hoje aqui representadas.     

Com a sinergia decorrente dessas parcerias, continuamos a honrar o legado de profissionalismo e qualidade herdados de nossos antecessores, mesmo em face dos desafios atinentes à conjuntura econômica adversa, como pode ser verificado pelas cartas comemorativas deste Dia do Hidrógrafo: a primeira carta do Rio Madeira, decorrente de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, e o aplicativo de Correntes de Maré para a Baia da Guanabara, desenvolvido no escopo da Rede de Modelagem e Observação Oceanográfica (REMO), com a participação de pesquisadores do Centro de Pesquisa (CENPES) da Petrobrás, de diversas universidades, do CHM e do Corpo Docente da DHN.     

Neste dia, vinte e oito personalidades estão sendo agraciadas com o título de Hidrógrafo Honorário pelos relevantes serviços prestados. Congratulo-me com todos pela merecida homenagem na certeza que nossa DHN continuará a contar com suas valiosas colaborações.    

Tendo como farol a Marinha do Amanhã que almejamos, os Marinheiros do Bode Verde renovam seu compromisso de prosseguir cooperando com a comunidade hidrográfica nacional no planejamento, produção e disponibilização de dados, produtos e serviços cada vez mais confiáveis e tempestivos sobre nossos rios e Amazônia Azul. É com esse trabalho silencioso, minucioso e dedicado que continuaremos a contribuir para o apoio à aplicação do Poder Naval, a segurança da navegação, a manutenção do prestígio de nosso Serviço Hidrográfico junto à comunidade internacional e para o desenvolvimento sustentável de nosso País.

“Restará sempre muito o que fazer”!

Deixe seu Comentário

Leia Também